AMOR DE CRISTO

terça-feira, 22 de dezembro de 2009 · 0 comentários


Conta-nos Dr. Gordon a história de Jorge Matheson, quando soube que estava condenado à cegueira.
Um jovem estudante atravessava a praça duma das antigas universidades escocesas, indo de caminho para o seu quarto no internato. Não se sentia bem. Seus olhos estavam fracos, o que tornava o trajeto difícil. Seguindo o conselho dum amigo, havia consultado um especialista em doenças da vista. O médico, depois de um exame minucioso, o avisara firmemente que havia de perder a visão em pouco tempo.
Um terrível soco entre os olhos não poderia tonteá-lo mais do que esta notícia. O seu coração estava perturbado. Perderia a visão!...
Todos os planos que tão esperançosamente arquitetara desfaziam-se na sua frente. Com a perda da visão ir-se-iam o ensino na universidade e todos os seus sonhos dourados. Perturbado, confuso, saiu do consultório médico apalpando o caminho como um sonâmbulo.
Jorge era noivo. Encaminhou-se em direção à casa da querida noiva, espe-rando, sem dúvida, alguma palavra de conforto para o coração dolorido. Como daria ele a triste noticia à moça que ele tanto amava e que prometera ser sua esposa? Seus planos estavam todos mudados; e como receberia ela a notícia?!
Quando lá chegou, contou-lhe em palavras brandas mas briosas a sua situação, sua mudança de planos, dizendo-lhe que ela teria liberdade para deci­dir segundo julgasse melhor. A noiva aceitou a liberdade!
A rejeição da noiva foi o segundo golpe. Pela segunda vez, saiu tristonho e sem enxergar o caminho em que pisava. O golpe parecia acima de suas for­ças, e a dor lhe sufocava o coração!
Mas não estava só. Alguém o aguardava e ternamente fortaleceu seu co­ração quebrantado, falando-lhe palavras amorosas e dando-lhe o bálsamo do conforto e do verdadeiro amor. O moço entregou-se nos braços do Verdadeiro Amigo e todas as dificuldades foram vencidas. Uma nova disposição o domi­nou, toman-do inteira e permanente posse de sua vida. E do seu coração que­brantado, mas cheio de conforto, saíram palavras de louvor e gratidão a Deus, o Amor que nunca muda sejam quais forem as circunstâncias.

( Coletânea - Natanael de Barros Almeida)

TORRADAS QUEIMADAS

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009 · 0 comentários


*"Então voltareis e vereis a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus, e o que não o serve." Malaquias 3:18*


Quando eu ainda era um menino, ocasionalmente, minha mãe gostava de fazer um lanche, tipo café da manhã, na hora do jantar.

E eu me lembro especialmente de uma noite, quando ela fez um lanche desses, depois de um dia de trabalho, muito duro.


Naquela noite longínqua, minha mãe pôs um prato de ovos, lingüiça e torradas bastante queimadas, defronte ao meu pai. Eu me lembro de ter esperado um pouco, para ver se alguém notava o fato. Tudo o que meu pai fez, foi pegar a sua torrada, sorrir para minha mãe e me perguntar como tinha sido o meu dia, na escola.


Eu não me lembro do que respondi, mas me lembro de ter olhado para ele lambuzando a torrada com manteiga e geléia e engolindo cada bocado.


Quando eu deixei a mesa naquela noite, ouvi minha mãe se desculpando por haver queimado a torrada. E eu nunca esquecerei o que ele disse:


" Baby, eu adoro torrada queimada."


Mais tarde, naquela noite, quando fui dar um beijo de boa noite em meu pai, eu lhe perguntei se ele tinha realmente gostado da torrada queimada.


Ele me envolveu em seus braços e me disse:


"Companheiro, sua mãe teve hoje, um dia de trabalho muito pesado e estava realmente cansada. Além disso, uma torrada queimada não faz mal a ninguém. A vida é cheia de imperfeições e as pessoas não são perfeitas. E eu também não sou um melhor empregado, ou cozinheiro!"


O que tenho aprendido através dos anos é que saber aceitar as falhas alheias, escolhendo relevar as diferenças entre uns e outros, é uma das chaves mais importantes para criar relacionamentos saudáveis e duradouros.


Essa é a minha oração para você, hoje:


Que possa aprender a levar o bem, o mal, as partes feias de sua vida colocando-as aos pés da cruz. Porque afinal, Ele é o único que poderá lhe dar um relacionamento no qual uma torrada queimada não seja um evento destruidor.


De fato, poderíamos estender esta lição para qualquer tipo de

relacionamento: entre marido e mulher, pais e filhos, e com amigos.


Não ponha a chave de sua felicidade no bolso de outra pessoa, mas no seu próprio. Veja pelos olhos de Deus e sinta pelo coração Dele; você apreciará o calor de cada alma, incluindo a sua.


As pessoas sempre se esquecerão do que você lhes fez, ou do que lhes disse.


Mas nunca esquecerão o modo pelo qual você as acolheu e valorizou.


Autor Desconhecido



AMOR NO LAR - CASAMENTO - FELICIDADE

terça-feira, 15 de dezembro de 2009 · 0 comentários


- Nunca fiquem ambos zangados ao mesmo tempo.
-Nunca lancem no rosto um ao outro um erro do passado.
-Nunca se esqueçam das horas felizes de quando começaram a se amar.
-Nunca se encontrem sem um gesto de boas-vindas.
-Nunca usem indiretas, quer estejam sozinhos, ou na presença de outros.
- Jamais gritem um com o outro, a não ser que a casa esteja pegando fogo.
- Procure cada um se esforçar ao máximo para estar de acordo com os desejos do outro.
-Seja a renúncia de si mesmo o alvo e a prática de cada dia.
-Nunca deixem o sol se pôr sobre qualquer zanga ou ressentimento.
- Jamais dêem ensejo a que um pedido razoável tenha de ser feito duas vezes.
- Nunca façam um comentário em público, que possa magoar o outro. Pode ser engraçado às vezes, mas fere.
- Nunca suspirem pelo que poderia ter sido, mas tirem o melhor partido daquilo que é.
- Não censurem nunca, a não ser que tenham a certeza de que uma falta foi cometida, e mesmo assim, falem sempre com amor.
- Jamais se separem sem palavras amáveis, nas quais pensem enquanto separados.
- Não deixem que nenhuma falta cometida fique sem ser confessada e perdoada.
- Não se esqueçam de que o lugar mais próximo do céu na terra é aquele em que duas almas se correspondem no altruísmo.
- Não fiquem satisfeitos enquanto não estiverem certos de que ambos estão trilhando o caminho estreito e reto, um ajudando o outro.
- Jamais se esqueçam de que o casamento foi estabelecido por Deus e que só a Sua bênção pode torná-lo o que deve ser.
- Não permitam que esperanças terrenas os distanciem do lar celestial.

( Trecho do livro: "Coletânea de Ilustrações Homilíticas" de Natanael de barros Almeida)

O ANEL

domingo, 13 de dezembro de 2009 · 0 comentários


Há muito tempo, numa cidade qualquer do interior, um jovem que vivia desanimado dirigiu-se ao seu professor:

- Venho aqui, professor, porque me sinto tão pouca coisa que não tenho forças para fazer nada. Me dizem que não sirvo para nada, que não faço nada bem, que sou lerdo e muito idiota. Como posso melhorar? O que posso fazer para que me valorizem mais?
O professor, sem olhá-lo, disse-lhe:
- Sinto muito, meu jovem, mas não posso ajudar. Devo primeiro resolver meu próprio problema. Talvez depois.
E fazendo uma pausa, falou:
- Se você me ajudasse, eu poderia resolver este problema com mais rapidez e depois talvez possa lhe ajudar.
- Claro, professor - gaguejou o jovem, logo se sentindo outra vez desvalorizado e hesitou em ajudar seu professor.
O professor tirou um anel que usava no dedo mínimo e deu ao garoto, dizendo:
- Pegue o cavalo e vá até o mercado. Devo vender esse anel porque tenho de pagar uma dívida. É preciso que você obtenha pelo anel o máximo possível, mas não aceite menos que uma moeda de ouro. Vai e volta com a moeda o mais rápido possível.
O jovem pegou o anel e partiu. Mal chegou ao mercado, começou a oferecer o anel aos mercadores. Eles olhavam com algum interesse, até quando o jovem dizia o quanto pretendia pelo anel.
Quando o jovem mencionava a moeda de ouro, alguns riam, outros saiam, sem ao menos olhar para ele. Só um velhinho foi amável, a ponto de explicar que uma moeda de ouro era muito valiosa para comprar um anel.
Tentando ajudar o jovem, chegaram a oferecer uma moeda de prata e uma xícara de cobre, mas o jovem seguia as instruções de não aceitar menos que uma moeda de ouro e recusava as ofertas.
Depois de oferecer a jóia a todos que passaram pelo mercado, abatido pelo fracasso, montou no cavalo e voltou. O jovem desejou ter uma moeda de ouro para que ele mesmo pudesse comprar o anel, assim livrando a preocupação de seu professor e, assim, receber ajuda e conselhos.
Já na escola, diante de seu mestre, disse:
- Professor, sinto muito, mas é impossível conseguir o que me pediu. Talvez pudesse conseguir duas ou três moedas de prata, mas não acho que se possa enganar ninguém sobre o valor do anel.
- Importante o que disse, meu jovem... - o professor disse, sorridente - Devemos saber primeiro o valor do anel. Pegue novamente o cavalo e vá até o joalheiro.
Quem poderia ser melhor para saber o valor exato do anel? Diga-lhe que quer vender o anel e pergunte quanto ele lhe dá. Mas não importa o quanto ele lhe ofereça, não o venda... Volte aqui com meu anel.
O jovem foi até o joalheiro e deu o anel para examinar. O joalheiro examinou o anel com uma lupa, pesou o anel e disse:
- Diga ao seu professor, se ele quer vender agora, não posso dar mais que 58 moedas de ouro pelo anel.
- 58 MOEDAS DE OURO!!! - exclamou o jovem.
- Sim, replicou o joalheiro, eu sei que, com tempo, eu poderia oferecer cerca de 70 moedas, mas se a venda é urgente...
O jovem correu emocionado à escola para contar o que ocorreu. Depois de ouvir tudo que o jovem lhe contou, o
professor disse:
- Você é como esse anel, uma jóia valiosa e única. E que só pode ser avaliada por um "expert". Pensava que qualquer um podia descobrir seu verdadeiro valor?
E, dizendo isso, voltou a colocar o anel no dedo.
Todos somos como esta jóia. Valiosos e únicos, andamos por todos os mercados da vida, pretendendo que pessoas inexperientes nos valorizem. Porém ninguém, além do Grande Joalheiro, nosso Deus e Pai, que deu Seu filho por amor de nós, sabe o nosso valor!

CARTA DE AMOR DO PAI

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009 · 0 comentários


Minha criança,
Tu podes não me conhecer, porém eu sei tudo sobre ti (Sl. 139.1)
Eu sei quando te deita e quando levanta-se (Sl. 139:2)
Eu conheço todos os teus caminhos (Sl. 139:3)
Até os cabelos de tua cabeça são contados (Mt. 10:29-31)
Tu fostes feito à minha imagem (Gn. 1:27)
Em mim tu vives e move-se, e tens existido (At. 17:28)
Por seres tu minha descendência (At. 17:28)
Eu já te conhecia bem antes da tua concepção (Jr. 1:4-5)
E te escolhi quando planejava a criação (Ef. 1:11-12)
Tu não és um erro, pois todos os teus dias foram escritos em Meu livro (Sl. 139:15-16)
Eu determinei a hora exata de teu nascimento e quanto deverias viver (At. 17:26)
Tu fostes feito de forma admirável e maravilhosa (Sl. 139:14)
E te formei no ventre de tua mãe (Sl. 139:13)
E te tirei do ventre da tua mãe no dia em que nascestes (Sl. 71:6)
Eu tenho sido mal-interpretado por aqueles que não me conhecem (Jo. 8:41-44)
Eu não me encontro distante nem estou furioso, porém sou a completa expressão de amor (I Jo. 4:16)
E é meu desejo gastar meu amor em ti, simplesmente porque és minha criança, e eu teu Pai (I Jo. 3:1)
Eu te ofereço mais que teu pai terrestre jamais poderia oferecer (Mt. 7:11)
Pois sou Eu, o Pai perfeito (Mt. 5:48)
Cada bom presente que recebes vem de minha mão (Tg. 1:17)
Pois sou Aquele que provê e encontra todas as tuas necessidades (Mt. 6:31-33)
Meu plano para teu futuro foi, desde sempre, preenchido com esperança (Jr. 29:11)
Pois Eu te amo com todo eterno amor (Jr. 31:3)
Meus pensamentos para contigo são incontáveis, como a areia da praia (Sl. 139:17-18)
E Eu me regozijo contigo em canções (Sf. 3:17)
E nunca irei parar de lhe fazer o bem (Jr. 32:40)
Pois és propriedade de Meu tesouro (Ex. 19:5)
Eu desejo me estabelecer em ti com todo meu coração e toda minha alma (Jr. 32:41)
E desejo lhe mostrar grandes e maravilhosas coisas (Jr. 33:3)
Se me procurardes com todo o teu coração, encontrar-me-á (Dt. 4:29)
Alegre-te em mim e Eu te darei todos os desejos de teu coração (Sl. 37:4)
Pois Eu é quem te coloco estes desejos (Fp. 2:13)
E sou capaz de fazer mais por ti do que jamais poderia imaginar (Ef. 3:20)
Pois sou Eu teu maior encorajador (II Ts. 2:16-17)
Eu sou o Pai que lhe conforta em todos os problemas (II Co. 1:3-4)
Quando estás quebrantado, Eu estou próximo de ti (Sl. 34:18)
Como um pastor que leva um cordeiro, Eu lhe tenho carregado junto ao coração (Is. 10:11)
Um dia irei secar cada lágrima de teus olhos e afastar de ti toda a dor que teve sofrido nesta terra (Ap. 21:3-4)
Eu sou teu Pai, e te amo tal como meu filho, Jesus (Jo. 17:23)
Pois em Jesus, meu amor a ti foi revelado (Jo. 17:26)
E Ele é a exata representação de Meu ser (Hb. 1:3)
Ele veio para demonstrar que Eu estou por ti, não contra ti (Rm. 8:31)
E para dizer que não estou contando teus pecados (II Co. 5:18-19)
Jesus morreu para que tu e Eu, então, pudéssemos nos reconciliar (I Co 5:18-19)
Sua morte foi o ultimato da minha expressão de amor por ti (I Jo. 4:10)
Eu desisti de tudo que amava para poder ganhar o teu amor (Rm. 8:31-32)
Se recebes o presente de meu filho Jesus, recebes a mim (I Jo. 2:23)
Então, nada irá te separar de meu amor novamente (Rm. 8:38-39)
Venha e irei Eu fazer a maior festa que nos céus já foi vista (Lc. 15:7)
Eu sempre fui teu Pai, e sempre serei teu Pai (Ef. 3:14-15)
Minha pergunta é... Serás tu minha criança? (Jo. 1:12-13)
Eu estou aguardando por ti (Lc. 15:11-32)

Com amor, do seu Deus e Pai, Todo Poderoso.


UMA MENINA CHAMADA EMY

domingo, 6 de dezembro de 2009 · 0 comentários


Emy era uma linda menina de 3 aninhos de idade. Ela morava em um lugar dos EUA, em frente ao mar. Sua família era cristã , eles iam todos os domingos à igreja e faziam culto doméstico. Emy era muito feliz! Ela amava sua família e admirava os olhos azuis de seu pai , sua mãe e seus irmãos. Todos na casa de Emy tinham olhos azuis. Todos..... menos Emy! O sonho de Emy era ter olhos azuis como o mar. Ah! Como Emy desejava isso!

Um dia, na escola dominical, ouviu a "tia" dizer: "Deus responde todas as orações".
Emy passou o dia todo pensando nisso.
À noite, na hora de dormir, ajoelhou ao lado de sua cama e orou:
"Papai do céu, muito obrigada porque você criou o mar que é tão bonito! Muito obrigada pela minha família! Muito obrigada pela minha vida! Gosto muito de todas as coisas que você fez e faz! Mas, gostaria de pedir, por favor, quando eu acordar amanhã, quero ter olhos azuis como os da mamãe! Em nome de Jesus, amém!"
Ela teve fé. A fé pura e verdadeira de uma criança. E, ao acordar no dia seguinte, correu para o espelho. Olhou... e qual era a cor de seus olhos?
Continuavam castanhos!!!
Por que Deus não ouviu Emy? Porque não atendeu seu pedido? Isso teria fortalecido sua fé?
Bem... naquele dia, Emy aprendeu que "não" também era resposta. A menininha agradeceu a Deus do mesmo modo, mas não entendia, apenas confiava.
Anos depois, Emy foi ser missionária na Índia. Ela "comprava crianças para Deus"( as crianças eram vendidas por suas famílias, que passavam fome, para serem sacrificadas no templo, e Emy as comprava para libertá-las desse sacrifício). Mas para poder entrar no "templo" da Índia, sem ser reconhecida como estrangeira, precisou se disfarçar como indiana; passou pó de café na pele, cobriu os cabelos, vestiu-se como as mulheres do local e entrava livremente nos locais de vendas das criaças. Emy podia caminhar tranquilamente em todo o "mercado infantil", pois aparentava ser uma indiana.
Um dia, uma amiga missionária olhou para ela disfarçada e disse: - Puxa Emy! Você já pensou como faria para se disfarçar se tivesse olhos claros como os de todos da sua família? Que Deus maravilhoso nós servimos! Ela lhe deu olhos bem escuros, pois sabia que isso seria essencial para a missão que lhe confiaria depois!
Essa amiga não sabia o quanto Emy chorado na infância por não ter olhos azuis...
Mas Emy pôde enfim, entender o porquê daquele NÃO de Deus há tantos anos!

Deus está no controle de tudo.
Ele conhece cada lágima que rolou dos seus olhos.
Ele sabe que, talvez, você quisesse "olhos de outra cor".
Ele ouve sim todas as orações.
Mas Ele responde a tudo de modo sábio.
Não precisa chorar se você ainda não foi atendido como gostaria.
Deus tem o controle de tudo.


"UMA COISA DISSE DEUS, DUAS VEZES A OUVI: QUE O PODER PERTENCE A DEUS" Sl 64.10

LIÇÃO DE VIDA

domingo, 29 de novembro de 2009 · 0 comentários


Dois homens, ambos gravemente doentes, com muitas dores, sofrendo muito, estavam no mesmo quarto de hospital.
Um deles, podia sentar-se na sua cama durante uma hora, todas as tardes, para que os fluidos circulassem nos seus pulmões. A sua cama estava junto à única janela do quarto.
O outro homem tinha de ficar sempre deitado de costas. Os homens conversavam horas a fio. Falavam das suas mulheres e famílias, das suas casas, dos seus empregos, onde tinham passado as férias... Todas as tardes, quando o homem da cama perto da janela se sentava, ele passava o tempo a descrever ao seu companheiro de quarto, todas as coisas que ele conseguia ver do lado de fora da janela.

“A glória da vida é amar, não ser amado; dar, não receber; servir, não ser servido.”
( H. W. Bieber)

O homem da cama do lado, aquele que não podia se mover, começou a viver à espera desses períodos de uma hora, em que o seu mundo era alargado e animado por toda a atividade e cor do mundo do lado de fora da janela. A janela dava para um parque com um lindo lago. Patos e cisnes chapinhavam na água enquanto as crianças brincavam com os seus barquinhos. Jovens namorados caminhavam de braços dados por entre as flores de todas as cores do arco-íris. Árvores velhas e enormes acariciavam a paisagem, e uma tênue vista da silhueta da cidade podia ser vista no horizonte.
Enquanto o homem da cama perto da janela descrevia isto tudo com extraordinário pormenor, amor e carinho, o homem no outro lado do quarto fechava os seus olhos e imaginava a pitoresca cena; viajava e sonhava com o mundo lindo visto da janela.

“O que temos feito por nós mesmos morre conosco; o que temos feito pelos outros e pelo mundo permanece e é imortal.”
(Alberto Pike)

Um dia, o homem perto da janela descreveu um desfile que ia a passar.
Embora o outro homem não conseguisse ouvir a banda, ele conseguia vê-la e ouvi-la na sua mente, enquanto o outro senhor a refratava através de palavras bastante descritivas.
Dias e semanas passaram com este lindo ato de amor.

Uma manhã, a enfermeira chegou ao quarto trazendo água para os seus banhos, e encontrou o corpo sem vida do homem perto da janela, que tinha falecido calmamente enquanto dormia. Ela ficou muito triste e chamou os funcionários do hospital para que levassem o corpo.

“É quando esquecemos de nós mesmos que fazemos coisas que serão sempre relembradas.”
(Eugene P. Bertin)

Logo que lhe pareceu apropriado, o outro homem perguntou se podia ser colocado na cama perto da janela. A enfermeira disse logo que sim e fez a troca.
Lentamente, e cheio de dores, o homem ergueu-se, apoiado no cotovelo, para contemplar o mundo lá fora. Fez um grande esforço e calmamente olhou para o lado de fora da janela... que dava, afinal, para uma parede de tijolo! Que surpresa...
O homem perguntou à enfermeira o que teria feito com que o seu falecido companheiro de quarto, lhe tivesse descrito coisas tão maravilhosas do lado de fora da janela.
A enfermeira respondeu que o homem era cego e estava muito doente, sabia que estava no fim da vida e nem sequer conseguia ver a parede:
“Talvez ele quisesse apenas dar-lhe coragem para que você pudesse suportar tantas dores e sofrimentos...”. (disse a enfermeira)

MORAL DA HISTÓRIA

Há uma felicidade tremenda em fazer os outros felizes, apesar dos nossos próprios problemas. A dor partilhada é metade da tristeza, mas a felicidade, quando partilhada, é o dobro de alegria.

“O dia de hoje é uma dádiva, por isso é que lhe chamam presente.”

A LIÇÃO DA BORBOLETA

domingo, 22 de novembro de 2009 · 0 comentários


Um dia, uma pequena abertura apareceu num casulo e um homem ficou observando o esforço da borboleta para fazer com que o seu corpo passasse por ali e ganhasse a liberdade. Por um instante, ela parou, parecendo que tinha perdido as forças para continuar. Então, o homem decidiu ajudar e, com uma tesoura, cortou delicadamente o casulo. A borboleta saiu facilmente. Mas, seu corpo era pequeno e tinha as asas amassadas.

O homem continuou a observar a borboleta porque esperava que, a qualquer momento, as asas dela se abrissem e ela saísse voando. Nada disso aconteceu. A borboleta ficou ali rastejando, como corpo murcho e as asas encolhidas e nunca foi capaz de voar!
O homem, que em sua gentileza e vontade de ajudar, não compreendeu que o casulo apertado e o esforço eram necessários para a borboleta vencer essa barreira. Era o desafio da natureza para mantê-la viva. O seu corpo se fortaleceria e ela estaria pronta para voar assim que se libertasse do casulo. Algumas vezes, o esforço é tudo o que precisamos na vida. Se Deus nos permitisse passar pela vida sem obstáculos, não seríamos como somos hoje. A força vem das dificuldades, a sabedoria, dos problemas que temos que resolver. A prosperidade, do cérebro e músculos para trabalhar. A coragem vem do perigo para superar e, às vezes, a gente se pergunta: não recebi nada do que pedi a Deus. Mas, na verdade, recebemos tudo o que precisamos. E nem percebemos.

O PREÇO DE UM MILAGRE

quarta-feira, 28 de outubro de 2009 · 0 comentários


Tess era uma garotinha precoce de 8 anos, quando ouviu seu Papai e sua Mamãe conversando sobre seu irmãozinho, Andrew. Tudo que ela sabia era que ele estava doente e que eles estavam completamente sem dinheiro. Eles se mudariam para um apartamento num subúrbio no próximo mês, porque o Papai não tinha recursos para pagar as contas do médico e o aluguel do apartamento.

Somente uma intervenção cirúrgica muito cara poderia salvá-lo agora, e parecia que não havia ninguém que pudesse emprestar-lhes o dinheiro. Ela ouviu seu pai dizer à sua mãe chorosa, com um sussurro desesperado, "Somente um milagre poderá salvá-lo agora."

Tess foi ao seu quarto e puxou o vidro de gelatina de seu esconderijo no armário. Despejou todo o dinheiro que tinha no chão e contou-o cuidadosamente. Três vezes. O total tinha que estar exato. Não havia margem de erro. Colocando as moedas de volta no vidro com cuidado e fechando a tampa, ela saiu devagarzinho pela porta do fundo e andou 5 quarteirões até a Farmácia Rexall, com seu símbolo de Chefe de Pele Vermelha sobre a porta. Ela esperou pacientemente que o farmacêutico a visse e desse atenção, mas ele estava muito ocupado no momento. Tess esfregou os pés no chão para fazer barulho. Nada! Ela limpou a garganta com o som mais terrível que ela pôde fazer. Nem assim! Finalmente ela pegou um níquel do vidro e bateu no vidro da porta. Finalmente!

"E o que você quer?" perguntou o farmacêutico com voz aborrecida..

"Estou conversando com meu irmão que chegou de Chicago e que não vejo há séculos", disse ele sem esperar resposta pela sua pergunta.

"Bem, eu quero lhe falar sobre meu irmão", Tess respondeu no mesmo tom aborrecido. "Ele está realmente doente... e eu quero comprar um milagre."

"Como?", balbuciou o farmacêutico atônito. "Ele chama Andrew e está com alguma coisa muito ruim crescendo dentro de sua cabeça e Papai diz que só um milagre poderá salvá-lo. "Então, quanto custa um milagre?"

"Não vendemos milagres aqui, garotinha. Desculpe, mas não posso ajudá-la", respondeu o farmacêutico, com um tom mais suave. "Escute, eu tenho o dinheiro para pagar. Se não for suficiente, conseguirei o resto. Por favor, diga-me quanto custa." O irmão do farmacêutico era um homem bem vestido. Ele deu um passo à frente e perguntou à garota. "Que tipo de milagre seu irmão precisa?"

"Não sei", respondeu Tess, levantando os olhos para ele. "Só sei que ele está muito mal e Mamãe diz que ele precisa ser operado. Mas Papai não pode pagar, então quero usar meu dinheiro."

"Quanto você tem", perguntou o homem de Chicago.

"Um dólar e 11 centavos", Tess respondeu quase num sussurro. "E é tudo que tenho, mas posso conseguir mais se for preciso." "Puxa, que coincidência", sorriu o homem. "Um dólar e 11 centavos - exatamente o preço de um milagre para irmãozinhos." Ele pegou o dinheiro com uma mão e dando a outra mão à menina, disse " Leve-me até aonde você mora. Quero ver seu irmão e conhecer seus pais. Quero ver se tenho o tipo de milagre que você precisa."

Esse senhor bem vestido era o Dr. Carlton Armstrong, um cirurgião, especializado em neurocirurgia. A operação foi feita com sucesso e sem custo algum, e meses depois Andrew estava em casa novamente, recuperado. Mamãe e Papai comentavam alegremente sobre a seqüência de acontecimentos ocorridos. "A cirurgia", murmurou Mamãe, "foi um milagre real. Gostaria de saber quanto deve ter custado?" Tess sorriu. Ela sabia exatamente quanto custa um milagre... um dólar e onze centavos... mais a fé de uma garotinha.

Um milagre não é a suspensão de uma lei natural, mas sim o resultado de uma lei maior ...

Autor Desconhecido

RAIZES PROFUNDAS

domingo, 25 de outubro de 2009 · 0 comentários


Tempos atrás, eu era vizinho de um médico, cujo "hobby" era plantar árvores no enorme quintal de sua casa. Às vezes, observava da minha janela o seu esforço para plantar árvores e mais árvores, todos os dias. O que mais chamava a atenção, entretanto, era o fato de que ele jamais regava as mudas que plantava.

Passei a notar, depois de algum tempo, que suas árvores estavam demorando muito para crescer. Certo dia, resolvi então aproximar-me do médico e perguntei se ele não tinha receio de que as árvores não crescessem, pois percebia que ele nunca as regava.

Foi quando, com um ar orgulhoso, ele me descreveu sua fantástica teoria.

Disse-me que, se regasse suas plantas, as raízes se acomodariam na superfície e ficariam sempre esperando pela água mais fácil, vinda de cima.

Como ele não as regava, as árvores demorariam mais para crescer, mas suas raízes tenderiam a migrar para o fundo, em busca da água e das várias fontes nutrientes encontradas nas camadas mais inferiores do solo. Assim, segundo ele, as árvores teriam raízes profundas e seriam mais resistentes às intempéries. Disse-me ainda, que freqüentemente dava uma palmadinha nas suas árvores, com um jornal enrolado, e que fazia isso para que se mantivessem sempre acordadas e atentas. Essa foi a única conversa que tive com aquele meu vizinho.

Logo depois, fui morar em outro país, e nunca mais o encontrei. Vários anos depois, ao retornar do exterior fui dar uma olhada na minha antiga residência.

Ao aproximar-me, notei um bosque que não havia antes. Meu antigo vizinho, havia realizado seu sonho! O curioso é que aquele era um dia de um vento muito forte e gelado, em que as árvores da rua estavam arqueadas, como se não estivessem resistindo ao rigor do inverno. Entretanto, ao aproximar-me do quintal do médico, notei como estavam sólidas as suas árvores: praticamente não se moviam, resistindo implacavelmente àquela ventania toda.

As adversidades pela qual aquelas árvores tinham passado, levando palmadelas e tendo sido privadas de água, pareciam tê-las beneficiado de um modo que o conforto o tratamento mais fácil jamais conseguiriam.

Todas as noites, antes de ir me deitar, dou sempre uma olhada em meus filhos.

Debruço-me sobre suas camas e observo como têm crescido.

Freqüentemente, oro por eles. Na maioria das vezes, peço para que suas vidas sejam fáceis:

"Meu Deus, livre meus filhos de todas as dificuldades e agressões desse mundo".

Tenho pensado, entretanto, que é hora de alterar minhas orações. Essa mudança tem a ver com o fato de que é inevitável que os ventos gelados e fortes nos atinjam e aos nossos filhos. Sei que eles encontrarão inúmeros problemas e que, portanto, minhas orações para que as dificuldades não ocorram, têm sido ingênuas demais.

Sempre haverá uma tempestade, ocorrendo em algum lugar. Portanto, pretendo mudar minhas orações. Farei isso porque, quer nós queiramos ou não, a vida não é muito fácil.

Ao contrário do que tenho feito, passarei a orar para que meus filhos cresçam com raízes profundas, de tal forma que possam retirar energia das melhores fontes, das mais divinas, que se encontram nos locais mais remotos.

Oramos demais para termos facilidades, mas na verdade o que precisamos fazer é pedir para desenvolver raízes fortes e profundas, de tal modo que quando as tempestades chegarem e os ventos gelados soprarem, resistiremos bravamente, ao invés de sermos subjugados e varridos para longe.

Autor Desconhecido

A MONTANHA

quarta-feira, 21 de outubro de 2009 · 0 comentários


A vida de cada um de nós pode ser comparada à conquista de uma montanha. Assim como a vida, ela possui altos e baixos. Para ser conquistada, deve merecer detalhada observação, a fim de que a chegada ao topo se dê com sucesso.

Todo alpinista sabe que deve ter equipamento apropriado. Quanto mais alta a montanha, maiores os cuidados e mais detalhados os preparativos.

No momento da escalada, o início parece ser fácil. Quanto mais subimos, mais árduo vai se tornando o caminho.

Chegando a uma primeira etapa, necessitamos de toda a força para prosseguir. O importante é perseguir o ideal: chegar ao topo.

À medida que subimos, o panorama que se descortina é maravilhoso. As paisagens se desdobram à vista, mostrando-nos o verde intenso das árvores, as rochas pontiagudas desafiando o céu. Lá embaixo, as casas dos homens tão pequenas…

É dali, do alto, que percebemos que os nossos problemas, aqueles que já foram superados, são do tamanho daquelas casinhas.

Pode acontecer que um pequeno descuido nos faça perder o equilíbrio e rolamos montanha abaixo. Batemos com violência em algum arbusto e podemos ficar presos na frincha de uma pedra.

É aí que precisamos de um amigo para nos auxiliar. Podemos estar machucados, feridos ao ponto de não conseguir, por nós mesmos, sair do lugar. O amigo vem e nos cura os ferimentos.

Estende-nos as mãos, puxa-nos e nos auxilia a recomeçar a escalada. Os pés e as mãos vão se firmando, a corda nos prende ao amigo que nos puxa para a subida.

Na longa jornada, os espaços acima vão sendo conquistados dia a dia.

Por vezes, o ar parece tão rarefeito que sentimos dificuldade para respirar. O que nos salva é o equipamento certo para este momento.

Depois vêm as tempestades de neve, os ventos gélidos que são os problemas e as dificuldades que ainda não superamos.

Se escorregamos numa ladeira de incertezas, podemos usar as nossas habilidades para parar e voltar de novo. Se caímos num buraco de falsidade de alguém que estava coberto de neve, sabemos a técnica para nos levantar sem torcer o pé e sem machucar quem esteja por perto.

Para a escalada da montanha da vida, é preciso aprender a subir e descer, cair e levantar, mas voltar sempre com a mesma coragem.

Não desistir nunca de uma nova felicidade, uma nova caminhada, uma nova paisagem, até chegar ao topo da montanha.

AS TRÊS ÁRVORES

sexta-feira, 16 de outubro de 2009 · 0 comentários


Havia no alto de uma montanha três árvores que sonhavam o que seriam depois de grandes.

A primeira olhando às estrelas disse: Eu quero ser o baú mais precioso do mundo, cheio de tesouros.

A segunda, olhando o riacho suspirou: Eu quero ser um navio grande para transportar reis e rainhas.

A terceira, olhou o vale e disse: Eu quero ficar aqui no alto da montanha e crescer tanto que as pessoas ao olharem para mim levantem os olhos e pensem em Deus.

Muitos anos se passaram e, certo dia, três lenhadores cortaram as árvores que estavam ansiosas em ser transformadas naquilo que sonhavam.

Mas os lenhadores não costumavam ouvir ou entender de sonhos...

Que pena!...

A primeira árvore acabou sendo transformada em um cocho de animais coberto de feno.

A segunda virou um simples barco de pesca, carregando pessoas e peixes todos os dias.

A terceira foi cortada em grossas vigas e colocada de um lado num depósito.

Então, desiludidas e tristes, as três perguntaram: Por que isso?

Entretanto, numa bela noite, cheia de luz e estrelas, uma jovem mulher colocou seu bebê recém nascido naquele cocho de animais e, de repente, a primeira árvore percebeu que continha o maior tesouro do mundo.

A segunda árvore estava transportando um homem que acabou por dormir no barco em que se transformara. E quando a tempestade quase afundou o barco, o homem levantou-se e disse: Paz!

E num relance, a segunda árvore entendeu que estava transportando o rei do céu e da terra.

Tempos mais tarde, numa sexta-feira, a terceira árvore espantou-se quando vigas foram unidas em forma de uma cruz e um homem foi pregado nela.

Logo sentiu-se horrível e cruel. Mas pouco depois, no domingo seguinte, o mundo vibrou de alegria. E a terceira árvore percebeu que nela havia sido pregado um homem para a salvação da humanidade, e que as pessoas sempre se lembrariam de Deus e de seu filho ao olharem para ela.

As árvores haviam tido sonhos e desejos, mas sua realização foi muitas vezes maior do que haviam imaginado.


"Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor.
Porque, assim como o céu é mais alto do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos.
" Isaías 55. 8,9

QUE EU TENHA

quinta-feira, 15 de outubro de 2009 · 0 comentários


Que eu tenha...todo o entendimento para praticar o amor
que eu seja sereno e veja sempre o melhor desse mundo
que eu seja paciente ao ritmo do universo e compreensivo aos seus caprichos
que eu saiba quem sou e nunca me afaste da minha missão
que não me tentem o poder e a arrogância e se me tentarem que eu seja firme
que eu esteja em paz para não negar o meu sorriso
que eu tenha o entusiasmo apaixonado dos raros
que meus atos me tornem especial e único
que meu ofício me torne necessário
que minha alegria seja iluminada e sedutora
que meus sonhos encontrem sempre seguidores
que meu corpo seja um santuário para a vida que me habita
que eu tenha disciplina para purificar meu corpo e meus atos
que eu tenha disposição e profundidade para o amor
que a preguiça não me corrompa
que eu saiba atravessar ereto este mundo hostil
que a minha transparência seja entendida sem rancor, raiva, inveja ou desconfiança
que as dores que me causam sejam justificadas com a luz que me proporcionam
que Deus me ilumine e
que minha vida, a cada dia, valha a pena.


Alexandre O. Dahmer

FÉ, ESPERANÇA E AMOR

sábado, 10 de outubro de 2009 · 0 comentários


Um dia, a FÉ, a ESPERANÇA e o AMOR saíram pelo mundo para ajudar os aflitos. Quem das três, seria capaz de realizar o melhor trabalho para a glória de Deus?

A beira da estrada da vida encontraram um homem pobre que sofria com uma doença que o deixou paralítico desde nascença. Mendigava às almas caridosas a fim de sobreviver. Diante daquela situação, a FÉ tomou a frente da Esperança e do Amor para resolver o caso. Disse:

Esperem aqui, vou realizar minha obra na vida daquele infeliz e tirá-lo daquela situação.

A FÉ trouxe ao homem a palavra de Deus e assim ela foi reproduzida no coração dele. Imediatamente aquele homem se rebelou contra aquela situação e usou a FÉ que tinha no coração para determinar sua cura e, no momento em que orava, seus ossos e juntos tornaram-se firmes.

Finalmente ficou de pé e saltou de alegria. Não precisava ficar mais a beira da estrada para mendigar e muito menos padecer todas as dores de antes.
Passadas algumas horas, o homem não tinha para onde ir. Nem casa, nem profissão, que lhe desse condições de se estabelecer na vida.

Neste momento a ESPERANÇA sentiu que era chegada a sua vez de trabalhar. Ela o levou para o alto da montanha e fez com que ele visse os férteis campos da terra. Desta maneira, foi mudando o seu coração e o homem entendeu que podia prosperar.

Movido pela força da ESPERANÇA, ele se pôs a caminho. Logo conseguiu um emprego, em uma fazenda próxima, e rapidamente aprendeu a cultivar a terra. Em pouco tempo, tinha juntado o suficiente para comprar seu próprio campo.

Com FÉ e ESPERANÇA, renovava suas forças a cada dia, e em poucos anos expandiu grandemente seus negócios. Suas colheitas eram exportadas em navio, alcançando portos de todo o mundo.

Ele tinha muitos empregados e se tornou o homem mais rico da terra. A FÉ e a ESPERANÇA estavam satisfeitas com o maravilhoso trabalho que haviam produzido na vida daquele homem.

Então disseram ao Amor:
"Não te preocupes em realizar tua obra. Vês, que juntas, mudamos completamente a vida deste homem, fazendo-o forte e próspero".

Assim, o Amor partiu em busca de alguém a quem pudesse ajudar. O império daquele homem se expandia por todo o lado, de forma que eram tantas as casas que muitas delas nem sequer conhecia.

Viajou o mundo inteiro e nada mais havia que o surpreendesse. Mas com o passar do tempo o homem foi ficando triste e enfastiado.
"Tenho tudo que um homem possa desejar" dizia ele, "mas ainda me sinto vazio".

A FÉ e a ESPERANÇA conversavam o que podiam fazer para torná-lo forte como antes? Ele agora não precisava do milagre da cura nem da Esperança para crer no sucesso do seu futuro, pois era muito rico.
Então as duas foram correndo em busca do AMOR para lhe pedir ajuda.
O AMOR voltou com elas e realizou sua obra no coração daquele homem.

Ao sentir AMOR, ele passou a entender Deus e a sua mais extraordinária obra. Surgiu a necessidade de ajudar outros com os mesmos problemas que os seus. A FÉ e a ESPERANÇA entenderam que embora suas obras tivessem sido de grandeza extraordinária... com o passar do tempo, sem AMOR, tudo perdia o sentido.

A FÉ é rápida... a ESPERANÇA permanece por mais tempo, mas o AMOR... NÃO ACABA NUNCA !!

"Agora, pois, permanecem a fé, a esperança, o amor, estes três; mas o maior destes é o amor."
1 Co 13.13

O VELHO E O NETO

terça-feira, 6 de outubro de 2009 · 0 comentários


O VELHO E O NETO

Era uma vez um velho muito velho, quase cego e surdo, com os joelhos tremendo. Quando se sentava à mesa para comer, mal conseguia segurar a colher. Derramava sopa na toalha e, quando, afinal, acertava a boca, deixava sempre cair um bocado pelos cantos.
O filho e a nora dele achavam que era uma porcaria e ficavam com nojo. Finalmente, acabaram fazendo o velho se sentar num canto atrás do fogão. Levavam comida para ele numa tigela de barro e - o que era pior - nem lhe davam bastante.
O velho olhava para a mesa com os olhos compridos, muitas vezes cheios de lágrimas.
Um dia, suas mãos tremeram tanto que ele deixou a tigela cair no chão e ela se quebrou. A mulher ralhou com ele, que não disse nada, só suspirou.
Depois ela comprou uma gamela de madeira bem baratinha e era aí que ele tinha que comer.
Um dia, quando estavam todos sentados na cozinha, o neto do velho, que era um menino de oito anos, estava brincando com uns pedaços de pau.
- O que é que você está fazendo? - perguntou o pai.
O menino respondeu:
- Estou fazendo um cocho, para papai e mamãe poderem comer quando eu crescer.
O marido e a mulher se olharam durante algum tempo e caíram no choro. Depois disso, trouxeram o avô de volta para a mesa. Desde então passaram a comer todos juntos e, mesmo quando o velho derramava alguma coisa, ninguém dizia nada.


" Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós a eles; porque esta é a lei e os profetas." Mt 7.12

QUEBRE O VIDRO

segunda-feira, 5 de outubro de 2009 · 0 comentários


Dino era um menino cuja família era extremamente pobre.
Nas festividades do Natal ele não ganhou nenhum presente, mas costumava olhar nas vitrines das lojas tudo aquilo que outros meninos de sua idade costumavam receber e isso lhe trazia grande excitação.
Logo no início do ano ele foi atropelado por um carro e levado a um hospital.
Uma das enfermeiras, levou-lhe alguns brinquedos para que ficasse um pouco mais alegre. Ao tocá-los, com grande regozijo ele exclamou: "Não existe nenhum vidro entre mim e os brinquedos!"
Muitas vezes não podemos tomar posse de tantas bênçãos que Deus tem nos oferecido porque ainda existe um vidro de separação entre nós e o Senhor.
Esse vidro pode ser motivado por rebeldia, desobediência, indiferença às coisas celestiais, etc. É o vidro do pecado.
Quando deixamos que nossos interesses pessoais, o desamor, a cobiça, a avareza e tantos outras atitudes pequenas tomem lugar em nosso coração, acabamos construindo um vidro que não permite que cheguemos à presença de Deus, mas ao abrir mão de tudo isso em favor do amor, da fé, da esperança e certeza de que apenas em Cristo podemos alcançar a verdadeira felicidade, então todos os vidros são quebrados e a nossa ligação com o Pai se torna real e verdadeira.

Se ainda existe um vidro separando você do Senhor Jesus, quebre-o agora e deixe o Senhor ocupar o lugar que lhe pertence!

UMA FLOR RARA

quarta-feira, 30 de setembro de 2009 · 0 comentários


Havia uma jovem muito rica, que tinha tudo: um
marido maravilhoso, filhos perfeitos, um emprego
que lhe pagava muitíssimo bem, uma família unida.
O estranho é que ela não conseguia conciliar tudo
isso, o trabalho e os afazeres lhe ocupavam todo
o tempo e a sua vida estava deficitária em
algumas áreas.
Se o trabalho lhe consumia muito tempo, ela tirava
dos filhos,se surgiam problemas, ela deixava de lado
o marido... E assim, as pessoas que ela amava eram
sempre deixadas para depois.
Até que um dia, seu pai, um homem muito sábio, lhe
deu um presente: uma flor muito cara e raríssima,
da qual havia um apenas exemplar em todo o mundo.
E disse à ela: - Filha, esta flor vai te ajudar muito
mais do que você imagina! Você terá apenas que
regá-la e podá-la de vez em quando, ás vezes
conversar um pouquinho com ela, e ela te dará em
troca esse perfume maravilhoso e essas lindas flores.
A jovem ficou muito emocionada, afinal a flor era
de uma beleza sem igual.
Mas o tempo foi passando, os problemas surgiam, o
trabalho consumia todo o seu tempo, e a sua vida,
que continuava confusa, não lhe permitia cuidar da flor.
Ela chegava em casa,olhava a flor e as flores ainda
estavam, lá, não mostravam sinal de fraqueza
ou morte, apenas estavam lá, lindas, perfumadas.
Então ela passava direto. Até que um dia, sem mais
nem menos, a flor morreu.
Ela chegou em casa e levou um susto!
Estava completamente morta, suas raízes estavam
ressecadas, suas flores caídas e suas folhas amarelas.
A jovem chorou muito, e contou a seu pai o
que havia acontecido. Seu pai então respondeu: - Eu
já imaginava que isso aconteceria, e eu não posso te
dar outra flor,porque não existe outra igual a essa,
ela era única, assim como seus filhos, seu marido e sua
família. Todos são bênçãos que o Senhor te deu, mas
você tem que aprender a regá-los, podá-los e dar
atenção a eles, pois assim como a flor, os sentimentos
também morrem. Você se acostumou a ver a flor sempre
lá, sempre florida, sempre perfumada, e se esqueceu
de cuidar dela. Cuide das pessoas que você ama!

E você? Tem cuidado das bênçãos que Deus tem lhe
dado? Lembre-se da flor, pois como ela são as bênçãos
do Senhor: Ele nos dá, mas nós é que temos que cuidar delas.

O BAMBU

segunda-feira, 28 de setembro de 2009 · 0 comentários


Depois de uma grande tempestade, o menino que estava passando férias na casa do seu avô, o chamou para a varanda e falou:
Vovô corre aqui! Me explica como essa figueira, árvore frondosa e imensa, que precisava de quatro homens para balançar seu tronco se quebrou, caiu com o vento e com a chuva... este bambu é tão fraco e continua de pé?
Filho, o bambu permanece em pé porque teve a humildade de se curvar na hora da tempestade. A figueira quis enfrentar o vento. O bambu nos ensina sete coisas. Se você tiver a grandeza e a humildade dele, vai experimentar o triunfo da paz em seu coração.

A primeira verdade que o bambu nos ensina, e a mais importante, é a humildade diante dos problemas, das dificuldades. Eu não me curvo diante do problema e da dificuldade, mas diante daquele, o único, o princípio da paz, aquele que me chama, que é o Senhor.

Segunda verdade: o bambu cria raízes profundas. É muito difícil arrancar um bambu, pois o que ele tem para cima ele tem para baixo também. Você precisa aprofundar a cada dia suas raízes em Deus na oração.

Terceira verdade: Você já viu um pé de bambu sozinho? Apenas quando é novo, mas antes de crescer ele permite que nasça outros a seu lado (como no cooperativismo). Sabe que vai precisar deles. Eles estão sempre grudados uns nos outros, tanto que de longe parecem com uma árvore. Às vezes tentamos arrancar um bambu lá de dentro, cortamos e não conseguimos. Os animais mais frágeis vivem em bandos, para que desse modo se livrem dos predadores.

A quarta verdade que o bambu nos ensina é não criar galhos. Como tem a meta no alto e vive em moita, comunidade, o bambu não se permite criar galhos. Nós perdemos muito tempo na vida tentando proteger nossos galhos, coisas insignificantes que damos um valor inestimável. Para ganhar, é preciso perder tudo aquilo que nos impede de subirmos suavemente.

A quinta verdade é que o bambu é cheio de “nós” ( e não de eu’s ). Como ele é oco, sabe que se crescesse sem nós seria muito fraco. Os nós são os problemas e as dificuldades que superamos. Os nós são as pessoas que nos ajudam, aqueles que estão próximos e acabam sendo força nos momentos difíceis. Não devemos pedir a Deus que nos afaste dos problemas e dos sofrimentos. Eles são nossos melhores professores, se soubermos aprender com eles.

A sexta verdade é que o bambu é oco, vazio de si mesmo. Enquanto não nos esvaziarmos de tudo aquilo que nos preenche, que rouba nosso tempo, que tira nossa paz, não seremos felizes. Ser oco significa estar pronto para ser cheio do Espírito Santo.

Por fim, a sétima lição que o bambu nos dá é exatamente o título do livro: ele só cresce para o alto. Ele busca as coisas do Alto.

Essa é a sua meta.

Livro - Buscando coisas do alto

DEUS NUNCA ERRA

domingo, 27 de setembro de 2009 · 0 comentários


Há muito, muito tempo, num reino distante, havia um rei que não acreditava na bondade de DEUS. Havia, porém, um súdito que em todas as situações lhe dizia: Meu rei, não desanime porque tudo que Deus faz é perfeito

Ele não erra! Um dia eles saíram para caçar e uma fera atacou o rei. O súdito conseguiu matar o animal, mas não pôde evitar que sua majestade perdesse um dedo da mão.

Furioso e sem mostrar gratidão por ter sido salvo, o nobre disse: Deus é bom? Se Ele fosse bom eu não teria sido atacado e perdido o meu dedo.

O servo apenas respondeu: Meu Rei, apesar de todas essas coisas, só posso dizer-lhe que Deus é bom; é que mesmo perder um dedo é para o seu bem.

O que Deus faz é perfeito. Ele nunca erra! Indignado com a resposta, o rei mandou prender o súdito. Tempos depois, saiu para uma outra caçada e foi capturado por selvagens que faziam sacrifícios humanos.

Já no altar, prontos para sacrificar o nobre, os selvagens perceberam que a vítima não tinha um dos dedos e soltaram-no: ele não era perfeito para ser oferecido aos deuses.

Ao voltar para o palácio, mandou soltar o súdito e recebeu -o muito afetuosamente. Meu caro, Deus foi realmente bom comigo! Escapei de ser sacrificado pelos selvagens , justamente por não ter um dedo! Mas tenho uma dúvida: Se Deus é tão bom, por que permitiu que você, que tanto o defende, fosse preso?

Meu rei, se eu tivesse ido com o senhor nessa caçada, teria sido sacrificado em seu lugar, pois não me falta dedo algum. Por isso, lembre-se: tudo o que Deus faz é perfeito

Ele nunca erra! Muitas vezes nos queixamos da vida e das coisas aparentemente ruins que nos acontecem, esquecendo-nos que nada é por acaso e que tudo tem um propósito. Todas as manhãs, ofereça seu dia à Presença Divina que habita o seu coração

Peça-Lhe para inspirar os seus pensamentos, guiar os seus atos, apaziguar os seus sentimentos. E nada tema, pois DEUS NUNCA ERRA!!!

Lembre-se: Deus nunca Erra, foi Ele que fez com que esta mensagem chegasse até você hoje.... Sabe porque? Eu não sei, mas Ele sabe, pois Ele nunca erra.......

DEUS TEM PROPÓSITO

· 0 comentários


Deus planejou os mínimos detalhes no dia em que criou o firmamento.
E planejou com o mesmo cuidado cada detalhe de seu nascimento.

Sabia a cor dos seus olhos,
a textura dos seus cabelos,
os acontecimentos dos seus dias.
Cada COMO, QUANDO e ONDE.

E Deus tem um plano perfeito -desde a eternidade-
para tocar outras vidas
através da sua vida.

Porque Deus te abençoa com Suas dádivas sem medida, com o bem mais duradouro,
pois considera sua vida o mais precioso tesouro.

VOCÊ É PARTE DO PLANO DE DEUS...

A CAIXINHA DE DEUS

sábado, 26 de setembro de 2009 · 0 comentários


Tenho em minhas mãos duas caixas
que Deus me deu para guardar.

Ele disse:

- Coloque todas as suas tristezas
na preta e todas as suas
alegrias na dourada.

Eu entendi suas palavras e, nas
duas caixas, tanto minhas
alegrias quanto minhas
tristezas guardei.

Mas, embora a dourada ficasse
cada dia mais pesada, a preta
continuava tão leve
quanto antes.

Curioso, abri a preta.

Eu queria descobrir o porquê,
e vi na base da caixa um
buraco pelo qual minhas
tristezas saiam.

Mostrei o buraco a Deus e
pensei alto:

"Gostaria de saber onde minhas
tristezas podem estar..."

Ele sorriu gentilmente para
mim e disse:

- Meu filho, elas estão aqui comigo!

Perguntei:

- Deus, por que deu-me as caixas?
Por que a dourada inteira e
a preta com o buraco?

- Meu filho, a dourada é para
você contar suas bênçãos...
E a preta é para você deixar
ir embora suas mágoas
e tristezas...

Lembre-se sempre de guardar
seus momentos mais felizes
e deixar ir embora
as tristezas!!!

PONTES OU CERCAS?

sexta-feira, 25 de setembro de 2009 · 0 comentários


Dois irmãos que moravam em fazendas vizinhas, separadas apenas por um riacho, entraram em conflito. Foi a primeira grande desavença em toda uma vida de trabalho lado a lado. Mas agora tudo havia mudado. O que começou com um pequeno mal entendido, finalmente explodiu numa troca de palavras ríspidas, seguidas por semanas de total silêncio. Numa manhã, o irmão mais velho ouviu baterem à sua porta.

- Estou procurando trabalho, disse ele. Talvez você tenha algum serviço para mim.

- Sim, disse o fazendeiro. Claro! Vê aquela fazenda ali, além do riacho? É do meu vizinho. Na realidade do meu irmão mais novo. Nós brigamos e não posso mais suportá-lo. Vê aquela pilha de madeira ali no celeiro? Pois use para construir uma cerca bem alta.

- Acho que entendo a situação, disse o carpinteiro. Mostre-me onde estão a pá e os pregos.

O irmão mais velho entregou o material e foi para a cidade.
O homem ficou ali cortando, medindo, trabalhando o dia inteiro.
Quando o fazendeiro chegou, não acreditou no que viu: em vez de cerca, uma ponte foi construída ali, ligando as duas margens do riacho.

Era um belo trabalho, mas o fazendeiro ficou enfurecido e falou:

- Você foi atrevido construindo essa ponte depois de tudo que lhe contei. Mas as surpresas não pararam ai. Ao olhar novamente para a ponte viu o seu irmão se aproximando de braços abertos. Por um instante permaneceu imóvel do seu lado do rio.

O irmão mais novo então falou:

- Você realmente foi muito amigo construindo esta ponte mesmo depois do que eu lhe disse. De repente,
num só impulso, o irmão mais velho correu na direção do outro e abraçaram-se, chorando no meio da ponte.

O carpinteiro que fez o trabalho, partiu com sua caixa de ferramentas.

- Espere, fique conosco! Tenho outros trabalhos para você. E o carpinteiro respondeu:
- Eu adoraria, mas tenho outras pontes a construir...



Já pensou como as coisas seriam mais fáceis se parássemos de construir cercas e muros e passássemos a construir pontes com nossos familiares, amigos, colegas do trabalho e principalmente nossos inimigos...O que você está esperando? Que tal começar agora !!

Muitas vezes desistimos de quem amamos por causa de mágoas e mal entendidos. Vamos deixar isso de lado, ninguém é perfeito, mas alguém tem que dar o primeiro passo.

Quanto mais amigos tiver, melhor vai se sentir, sabe por que??!!

É bom demais Amar e ser amado é melhor ainda.

Pense Nisso e Construa Pontes ao seu redor.
Dois irmãos que moravam em fazendas vizinhas, separadas apenas por um riacho, entraram em conflito. Foi a primeira grande desavença em toda uma vida de trabalho lado a lado. Mas agora tudo havia mudado. O que começou com um pequeno mal entendido, finalmente explodiu numa troca de palavras ríspidas, seguidas por semanas de total silêncio. Numa manhã, o irmão mais velho ouviu baterem à sua porta.

- Estou procurando trabalho, disse ele. Talvez você tenha algum serviço para mim.

- Sim, disse o fazendeiro. Claro! Vê aquela fazenda ali, além do riacho? É do meu vizinho. Na realidade do meu irmão mais novo. Nós brigamos e não posso mais suportá-lo. Vê aquela pilha de madeira ali no celeiro? Pois use para construir uma cerca bem alta.

- Acho que entendo a situação, disse o carpinteiro. Mostre-me onde estão a pá e os pregos.

O irmão mais velho entregou o material e foi para a cidade.
O homem ficou ali cortando, medindo, trabalhando o dia inteiro.
Quando o fazendeiro chegou, não acreditou no que viu: em vez de cerca, uma ponte foi construída ali, ligando as duas margens do riacho.

Era um belo trabalho, mas o fazendeiro ficou enfurecido e falou:

- Você foi atrevido construindo essa ponte depois de tudo que lhe contei. Mas as surpresas não pararam ai. Ao olhar novamente para a ponte viu o seu irmão se aproximando de braços abertos. Por um instante permaneceu imóvel do seu lado do rio.

O irmão mais novo então falou:

- Você realmente foi muito amigo construindo esta ponte mesmo depois do que eu lhe disse. De repente,
num só impulso, o irmão mais velho correu na direção do outro e abraçaram-se, chorando no meio da ponte.

O carpinteiro que fez o trabalho, partiu com sua caixa de ferramentas.

- Espere, fique conosco! Tenho outros trabalhos para você. E o carpinteiro respondeu:
- Eu adoraria, mas tenho outras pontes a construir...



Já pensou como as coisas seriam mais fáceis se parássemos de construir cercas e muros e passássemos a construir pontes com nossos familiares, amigos, colegas do trabalho e principalmente nossos inimigos...O que você está esperando? Que tal começar agora !!

Muitas vezes desistimos de quem amamos por causa de mágoas e mal entendidos. Vamos deixar isso de lado, ninguém é perfeito, mas alguém tem que dar o primeiro passo.

Quanto mais amigos tiver, melhor vai se sentir, sabe por que??!!

É bom demais Amar e ser amado é melhor ainda.

Pense Nisso e Construa Pontes ao seu redor.

CONFIANÇA EM DEUS

quinta-feira, 24 de setembro de 2009 · 0 comentários


O profeta Isaías, ao se referir à grandeza de Deus e à confiança que nele deve ter o homem, diz: “os que esperam no Senhor, adquirirão sempre novas forças, tomarão asas como de águia, correrão e não fatigarão, andarão e não desfalecerão.”
É muito singular que o Profeta compare os que confiam no Senhor às águias.
É que elas têm uma forma toda especial de enfrentar as tempestades. Quando se aproxima uma tempestade as águias abrem suas asas, capazes de voar a uma velocidade de até noventa quilômetros por hora, e enfrentam a tormenta.
Elas sabem que acima das nuvens escuras e das descargas elétricas, brilha o sol.
Nessa luta terrível elas podem perder penas, podem se ferir, mas não temem e seguem em frente. Depois, enquanto todo mundo fica às escuras embaixo, elas voam vitoriosas e em paz, lá em cima. Confiança que traduz certeza é o seu lema. Para além da tormenta, brilha o sol e o sol elas buscam.
Na morte as águias também dão excelente lição de confiança. Como todos os seres vivos, elas também morrem um dia.
Contudo, alguma vez você já se deparou com o cadáver de uma águia? É possível que já tenha visto o de uma galinha, de um cachorro, de um pombo. Quem sabe até de um bicho do mato nessas extensas estradas de reserva ecológica. Mas, com certeza nunca encontrou um cadáver de águia.
Sabe por que? Porque quando elas sentem que chegou a hora de partir, não se lamentam nem ficam com medo. Localizam o pico de uma montanha inatingível, usam as últimas forças de seu corpo cansado e voam na sua direção. E lá esperam, resignadamente, o momento final. Até para morrer, as águias são extraordinárias.
Quando, por ventura, você se deparar com um momento difícil, em que as crises aparecem gerando outras crises, não admita que o desânimo se aposse das suas energias. Eleve-se acima da tempestade, através da oração.
Pense que Deus é o autor e o sustentador de todo o bem. Pequenos dissabores que estejam atingindo você são convites a reexame dos empecilhos que enchem a estrada da sua vida.
Discórdia é problema que está pedindo ação pacificadora. Desarmonias domésticas são exigência de mais serviço aos familiares.
Doença é processo de recuperação da verdadeira saúde. Até mesmo a presença da morte não significa outra coisa senão renovação,
e mais vida.

Pense nisso:

Sempre que as aflições visitem seu lar em forma de enfermidade ou tristeza, humilhação ou desastre, não se entregue ao desalento.
Recorde que, se você procura pelo socorro de Deus, o socorro de Deus também está procurando alcançar você.
Se a tranqüilidade parece demorar um pouco, persevere na esperança, lembrando que o amparo de Deus está oculto ou vem vindo.
(Autor Desconhecido)

SE AMAR FOSSE FÁCIL

quarta-feira, 23 de setembro de 2009 · 0 comentários



Se amar fosse fácil
Não haveria tanta gente amando mal,
Nem tanta gente mal amada.

Se amar fosse fácil,
Não haveria tanta fome,
Nem tantas guerras
Nem gente sem sobrenome.

Se amar fosse fácil,
Não haveria tantas crianças nas ruas
sem ter ninguém,
nem haveria orfanatos,
porque as famílias serenas,
adotariam mais filhos,
nem filhos mal concebidos,
nem esposas mal amadas,
nem mixês,
nem prostitutas.

E nunca ninguém negaria
o que jurou no altar,
nem haveria divorcio e nem separação,
Jamais...

Se amar fosse fácil,
Não haveria assaltantes
e as mulheres gestantes
não tirariam seu feto,
nem haveria assasinos,
nem preços exorbitantes
nem os que ganham demais,
nem os que ganham de menos.

Se amar fosse fácil
nem soldados haveria,
pois ninguém agrediria
no máximo ajudariam
no combate ao cão feroz.

Mas o "amor" é sentimento
que depende de um "eu quero"
seguido de um "eu espero";
e a vontade é rebelde,
o homem, um egoísta
que maximiza seu "eu"
por isso, o amor é difícil

Jesus Cristo não brincava
quando nos ensinou a amar.
E, quando morreu amando
deu a suprema lição.
Não se ama por ser fácil,
ama-se porque é preciso!

DEUS FAZ, MAS VOCÊ PODE...

terça-feira, 22 de setembro de 2009 · 0 comentários


colaborar...


Só DEUS pode criar
Mas você pode valorizar o que ele criou.


Só DEUS pode dar a vida
Mas você pode transmiti-la e respeita-la.


Só DEUS pode dar a fé.
Mas você pode dar o seu testemunho.


Só DEUS pode dar a paz.
Mas você pode semear a união.


Só DEUS pode dar a força
Mas você pode apoiar quem desanimou.


Só DEUS pode infundir esperança.
Mas você pode restituir a confiança ao irmão.


Só DEUS pode dar o amor.
Mas você pode ensinar o seu irmão a amar.


Só DEUS pode dar alegria.
Mas você pode sorrir a todos.


Só DEUS é o caminho.
Mas você pode indica-lo aos outros.


SÓ DEUS é a luz.
Mas você pode fazê-la brilhar no mundo.


Só DEUS é a vida.
Mas você pode dar aos outros a alegria de viver.


Só DEUS pode fazer o impossível.
Mas você poderá sempre fazer o que for possível.


Só DEUS pode fazer milagres.
Mas você pode fazer sacrifício.


SÓ DEUS pode fazer a semente do bem germinar.
Mas você pode plantá-la no coração humano.


Só DEUS se basta a si mesmo.
Mas ...ELE preferiu contar com você.

MENSAGEM DE JESUS

domingo, 20 de setembro de 2009 · 0 comentários



Por que te confundes e te agitas diante dos problemas da vida?
Deixe que eu cuide de todas as tuas coisas e tudo será melhor.
Quando você se entregar a mim,
tudo se resolverá com tranqüilidade segundo meus designos.
Não te desespere, não me dirija uma oração agitada,
como se quisesse exigir o cumprimento dos teus desejos.
Feche os olhos da alma e diga-me com calma:

Jesus, eu confio em ti.

Evite preocupações e as angústias
e os pensamentos sobre o que pode acontecer depois.
Não bagunce os meus planos, querendo impor suas idéias.
Deixa-me ser Deus e atuar com liberdade.
Se abandone confiadamente em mim.
Repouse em mim e deixe em minhas mãos o teu futuro.
Diga-me freqüentemente:

Jesus, eu confio em ti.

O que mais danos te causa são sua razões,
sua próprias idéias e você querer resolver as coisas a tua maneira.
Quando me disser:
Jesus, eu confio em ti,
não seja como o paciente que pede ao médico que o cure,
porque lhe sugere o modo de fazer.
Deixe se levar em meus braços divinos, não tenha medo,

EU TE AMO.

Se acreditar que as coisas pioram
ou se complicam apesar de tua oração, siga confiando.
Feche os olhos da alma e confia.
Continue dizendo a toda hora:

Jesus, eu confio em ti.

Necessito das mãos livres para fazer a minha obra.
Mesmo que a dor seja tão forte,
a ponto de derramar lágrimas dos seus olhos.
Estarei com você e com a sua família em todos os momentos.
Diga:

Jesus, eu confio em ti.

Confia só em mim, abandona-se em mim,
jogue todas as suas angústias e durma tranqüilo.
Diga-me sempre:

Jesus, eu confio em ti,

e verás acontecer grandes milagres.
Eu te prometo por meu amor.
Pois, sempre confiarei em você, meu filho

JÚLIO E SUA FAMÍLIA

sábado, 19 de setembro de 2009 · 0 comentários


Dois irmãozinhos brincavam em frente de casa, jogavam bolinhas de gude.
Quando Júlio o menino mais novo disse ao irmão Ricardo:
- Meu querido irmão, eu te amo muito e nunca quero me separar de você!
Ricardo sem dar muita importância ao que Júlio disse, pergunta:
- O que deu em você moleque? Que conversa besta é essa de amar? Quer calar a boca e continuar jogando?
E os dois continuaram jogando a tarde inteira até anoitecer. A noite o senhor Jacó, pai dos garotos chegou do trabalho, estava exausto e muito mal humorado, pois não havia conseguido fechar um negócio importante.
Ao entrar Jacó olhou para Júlio que sorriu para o pai e disse:
- Olá papai, eu te amo muito e não quero nunca me separar do senhor!
Jacó no auge de seu mal humor e stress disse:
- Júlio, estou exausto e nervoso, então por favor não me venha com besteiras!
Com as palavras ásperas do pai, Júlio ficou magoado e foi chorar no cantinho do quarto.
Dona Joana, mãe dos garotos sentindo a falta do filho foi procura-lo pela casa, até que o encontrou no cantinho do quarto com os olhinhos cheios de lágrimas.
Dona Joana espantada começou a enxugar as lágrimas do filho e perguntou:
- O que foi Júlio, porque choras?
Júlio olhou para a mãe, com uma expressão triste e lhe disse:
- Mamãe, eu te amo muito e não quero nunca me separar da senhora!
Dona Joana sorriu para o filho e lhe disse:
- Meu amado filho, ficaremos sempre juntos!
Júlio sorriu, deu um beijo na mãe e foi se deitar. No quarto do casal, ambos se preparando para se deitar, Dona Joana pergunta para seu marido Jacó:
- Jacó, o Júlio está muito estranho hoje, não acha?
Jacó muito estressado com o trabalho disse a esposa:
- Esse moleque só está querendo chamar a atenção... Deita e dorme mulher!
Então todos se recolheram e todos dormiam sossegados. As 2 horas da manhã,
Júlio se levanta vai ao quarto de seu irmão Ricardo e fica observando o irmão dormir...
Ricardo incomodado com a claridade acorda e grita com Júlio: - Seu louco, apaga essa luz e me deixa dormir!
Júlio em silencio obedeceu o irmão, apagou a luz e se dirigiu ao quarto dos pais... Chegando ao quarto de seus pais acendeu a luz e ficou observando seu pai e sua mãe dormirem. O senhor Jacó acordou e perguntou ao filho:
- O que aconteceu Júlio?
Júlio em silencio só balançou a cabeça em sinal negativo, respondendo ao pai que nada havia ocorrido.
Então o senhor Jacó irritado perguntou a Júlio: - Então o que foi moleque?
Júlio continuou em silencio. Jacó já muito irritado berrou com Júlio:
- Então vai dormir seu doente!
Júlio então apagou a luz do quarto se dirigiu ao seu quarto e se deitou.
Na manhã seguinte todos se levantaram cedo, o senhor
Jacó iria trabalhar, a dona Joana levaria as crianças para a escola e Ricardo e Júlio iria a escola... Mas Júlio não se levantou. Então o senhor Jacó que já estava muito irritado com Júlio, entra bufando no quarto do garoto e grita:
- Levanta seu moleque vagabundo!
Júlio nem se mexeu. Então Jacó avança sobre o garoto e puxa com força o cobertor do menino com o braço direito levantado pronto para lhe dar um tapa quando percebe que Júlio estava com os olhos fechados e que estava pálido. Jacó assustado colocou a mão sobre o rosto de Júlio e pode notar que seu filho estava gelado. Desesperado Jacó gritou chamando a esposa e o filho Ricardo para ver o que havia acontecido com Júlio... Infelizmente o pior. Júlio estava morto e sem qualquer motivo aparente. Dona Joana desesperada abraçou o filho morto e não conseguia nem respirar de tanto chorar. Ricardo desconsolado segurou firme a mão do irmão e só tinha forças para chorar também. Jacó em desespero soluçando e com os olhos cheios de lágrimas, percebeu que havia um papelzinho dobrado nas pequenas mãos de Júlio.
Jacó então pegou o pequeno pedaço de papel e havia algo escrito com a letra de Júlio.
"Outra noite Deus veio falar comigo através de um sonho, disse a mim que apesar de amar minha família e dela me amar, teríamos que nos separar. Eu não queria isso, mas Deus me explicou que seria necessário. Não sei o que vai acontecer mas estou com muito medo. Gostaria que ficasse claro apenas uma coisa:Ricardo, não se envergonhe de amar seu irmão. Mamãe, a senhora é a melhor mãe do mundo. Papai, o senhor de tanto trabalhar se esqueceu de viver. Eu amo todos vocês! "

Meus Amigos,
Espero que isso sirva de exemplo para que vocês nunca percam a chance de dizer a alguém de sua família ou a alguém especial o quanto os amam.

Baseado em um fato verídico

O LUGAR QUE DEUS QUER

· 0 comentários


Eu ouvi a história de um trabalhador que nunca conhecerei, mas sei que Deus queria que eu soubesse dessa história!

Ele era chefe de segurança de uma empresa, a qual convidou os remanescentes de outra, que tinha sido dizimada pelo ataque às torres gêmeas, para dividir espaço em seu escritório.

Com sua voz cheia de admiração, ele contou histórias que explicavam porque essas pessoas estavam vivas, enquanto seus colegas estavam mortos.

Todas as histórias tratavam de pequenos detalhes…

Talvez você saiba do diretor de empresa que chegou tarde porque aquele dia era o primeiro de seu filho no jardim de infância.

Outro colega estava vivo porque era o seu dia de trazer rosquinhas.

A história que mais me chamou atenção foi a do homem que estava estreando um par de sapatos naquela manhã.

No caminho para o trabalho, formou-se uma bolha em seu pé. Ele parou em uma farmácia para comprar um Band-Aid. É por isso que ele está vivo.

Agora, quando estou preso no trânsito, perco o elevador, volto para atender o telefone…. Todas essas pequenas coisas que me irritam… Eu penso comigo: ali é o exato lugar onde Deus quer que eu esteja naquele exato momento. Que Deus continue a abençoar-te com esses pequenos aborrecimentos.

Você já esteve alguma vez parado, acomodado em algum lugar, e de repente veio uma vontade de fazer algo de bom por alguém de quem você gosta…
É DEUS… Ele fala com você através do Espírito Santo.

Você já esteve pensando em alguém que não via há tempo, e em seguida o(a) encontra, ou recebe dele(a) um telefonema ou uma carta…
É DEUS…“coincidências” não existem.

Alguma vez você já recebeu algo de maravilhoso que nem pediu, como uma dívida que misteriosamente foi sanada, ou um vale de loja onde você acabou de ver algo que queria, mas não podia comprar…
É DEUS… Ele conhece os desejos do seu coração...

Você já não esteve em uma situação em que nem tinha uma pista de como iria melhorar, e que agora está superada...
É DEUS... Ele nos ajuda a passar pelas tribulações para que vejamos dias mais brilhantes...

A ARANHA

· 0 comentários


Uma vez um homem estava sendo perseguido por vários malfeitores que queriam matá-lo. O homem, correndo, virou em um atalho que saía da estrada e entrava pelo meio do mato e, no desespero, elevou uma oração a Deus da seguinte maneira:
- "Deus Todo Poderoso fazei com que dois anjos venham do céu e tapem a entrada da trilha para que os bandidos não me matem!!!"

Nesse momento escutou que os homens se aproximavam da trilha onde ele se escondia e viu que na entrada da trilha apareceu uma minúscula aranha. A aranha começou a tecer uma teia na entrada da trilha. O homem se pôs a fazer outra oração cada vez mais angustiado:
- "Senhor, eu vos pedi anjos, não uma aranha."
- "Senhor, por favor, com tua mão poderosa coloca um muro forte na entrada desta trilha, para que os homens não possam entrar e me matar..."

Abriu os olhos esperando ver um muro tapando a entrada e viu apenas a aranha tecendo a teia. Estavam os malfeitores entrando na trilha, na qual ele se encontrava esperando apenas a morte. Quando passaram em frente da trilha o homem escutou:
- "Vamos, entremos nesta trilha!"
- "Não, não está vendo que tem até teia de aranha!? Nada entrou por aqui. Continuemos procurando nas próximas trilhas..."

Fé é crer no que não se vê, é perseverar diante do impossível. Às vezes pedimos muros para estarmos seguros, mas Deus pede que tenhamos confiança n'Ele para deixar que sua glória se manifeste e faça algo como uma teia, que nos dá a mesma proteção de uma muralha.

CORRIGIR PERDOANDO

sexta-feira, 18 de setembro de 2009 · 0 comentários



”Nem eu tampouco te condeno; vai e não peques mais.”

João. 8,11 b


Devemos lembrar a passagem de Jesus Cristo pela terra em todos os seus feitos. Meditar com bastante sabedoria sobre tudo o que nos ensinou. Lembrar do seu sacrifício final pela humanidade. Seus ensinamentos foram revestidos de uma humildade jamais vista em tempo algum, são atitudes claras, diretas, simples, amorosas e corretivas. Tudo isto para o bem daqueles que ouvem e O aceita. Sentimos no ministério de Jesus, uma grande preocupação no “perdoar recuperando” Jesus ensinou amar, unir, perdoar, recuperar. Nunca matar, jogar fora, dividir ou isolar ou faltar a Palavra amorosa. Anunciar a Salvação é a nossa principal missão, não esquecendo nunca o perdão em primeiro lugar. É isto que vai nos proporcionar melhores condições para apresentar o bom trabalho que complementa o desejo do Senhor: Recuperar.


Não podemos omitir de forma alguma, que temos vivido tempos difíceis que nos levam a ver muitas injustiças, falta o amor, dedicação e perdão. Hoje isolamos ou jogamos fora facilmente um irmão sem praticarmos ardentemente o perdão, que é a correção real, restauradora, pregada por Jesus Cristo.


É fato, que bem lá dentro de nossas igrejas, encontramos multidões de problemas, dos mais simples aos mais complexos. Não poderíamos deixar de meditar sobre este assunto, pois os tempos em que vivemos, nos faz sentir todas estas situações. Percebe-se muita falta do preparo, da bondade e até mesmo da honestidade. Devemos meditar muito sobre nosso dever perante nosso senhor Jesus cristo, perante a Igreja. Neste momento, deixar um texto sobre este tema acreditamos ser saudável, pois sabemos, temos falhado muito em nossos deveres, nossos relacionamentos, principalmente quando faltamos boas atitudes para com o nosso próximo, nosso irmão.


Temos grande número de ministros, pastores, separados do seu rebanho, isolados por algo acontecido. Sabemos que muitos choram sem condições de se colocar apto a lutar pela justa Recuperação, falar assim não é uma critica e sim lembrar que temos mais um fora da batalha. Vivemos dentro de um sistema em que temos visto e sido testemunhas que nem sempre Jesus está á frente no comandando, pois não nos entregamos em condições para a obra. Grandes tribunais eclesiásticos são organizados movidos por este sistema que nos dirige, não fazemos uma apologia contra tribunais e sim a preocupação com a falta de amor que atinge a muitos.

Desta forma chegamos a uma preocupada pergunta: “Jesus Cristo tem sido o presidente de tribunais”. Em toda sua missão na terra Jesus Cristo nunca precisou organizar qualquer tribunal, sabiamente com os lábios banhados de amor e beleza dizia, como no evangelho de João cap. 8,11: nem eu tampouco te condeno; vai e não peques mais. Seria muito importante enfatizar “quem não tiver pecado atire a primeira pedra”, quantos tribunais poderão atirar a primeira pedra? Falamos em tribunal, pois o mesmo implica na correção dos fieis.


Não podemos abafar a Voz de Cristo a verdade. Temos inúmeras situações que não podem continuar com problemas mal resolvidos, assim desarticulamos cada vez mais nossas igrejas, afetando a vida de pastores, irmãos, oficiais e muitos líderes tão necessários para o trabalho do Reino de Cristo.


Jesus Cristo veio como nosso salvador, nosso pastor de ovelhas, veio ama-las, curar suas feridas tirara-las do abismo a que caiu, traze-la para o rebanho. Dar a vida verdadeira que foi proposta para ela e, que homem nenhum pode mudar seu destino.


A grande preocupação neste momento é a falta de correção na aplicação dos ensinamentos de Cristo. O amor, a dedicação no tratar do perdão. Cristo nos ensina a perdoar sempre, recuperando o ser humano, não existe um sequer diferente, todos são iguais. A hora para desfazermos injustiças, é hoje! Nunca deixar para o amanhã!

O exemplo deixado por Jesus nos leva a ter a obrigação e coragem de labutar ao lado da verdade, do sábio amor, que constrói vida em abundância. Jesus nos prepara para enfrentar com grande coragem, tantos problemas, exercitando o amor, praticando a justiça, o perdão, a misericórdia, sendo verdadeiro. Assim precisamos estar ajustados aos ensinamentos de Cristo. Jamais em tempo algum qualquer tribunal, qualquer sentença, qualquer procedimento que não reflita honestidade, correção, jamais superará o amor de Cristo.


Que nosso Deus todo poderoso sempre nos conceda sabedoria.



Diácono: Rilvan Stutz

Ministério Fruto do Espírito

O NÁUFRAGO

· 0 comentários


Um certo homem saiu em uma viagem de avião. Era um homem temente a Deus, e sabia que o Senhor o protegia.
Durante a viagem, quando sobrevoavam o mar, um dos motores falhou e o piloto teve de fazer um pouso forçado no oceano. Quase todos morreram, mas o homem conseguiu agarrar-se a alguma coisa que o conservasse em cima da água. Ficou boiando à deriva durante muito tempo até que chegou a uma ilha não habitada.

Ao chegar à praia, cansado, porém vivo, agradeceu ao Senhor por este livramento maravilhoso da morte. Ele conseguiu se alimentar de peixes e ervas. Conseguiu derrubar algumas árvores e com muito esforço construiu uma casinha para ele. Não era bem uma casa, mas um abrigo tosco, com paus e folhas. Porém significava proteção. Ele ficou todo satisfeito e mais uma vez agradeceu ao Senhor, porque agora podia dormir sem medo dos animais selvagens que talvez pudessem existir na ilha.

Um dia, ele estava pescando e quando terminou, havia apanhado muitos peixes. Assim, com comida abundante, estava satisfeito com o resultado da pesca. Porém, ao voltar-se na direção de sua casa, qual não foi sua decepção,ao ver sua casa toda incendiada.
Ele se sentou em uma pedra chorando e dizendo em prantos:
-Senhor! Como é que foi deixar acontecer isto comigo? O Senhor sabe que eu preciso muito desta casa e o Senhor deixou queimar todinha. O Senhor não tem compaixão de mim? Eu sempre faço minhas orações diárias.
E assim permaneceu o homem durante algumas horas, envolvido em sua revolta e dor.

Passado algum tempo, uma mão pousou no seu ombro e ele ouviu uma voz dizendo:

-Que bom encontrá-lo... você está bem?
Ele se virou para ver quem estava falando com ele, e qual não foi sua surpresa quando viu em sua frente um marinheiro acompanhado de uma equipe: -Vamos rapaz, nós viemos te buscar...

-Mas como é possível? Como souberam que eu estava aqui?

-Ora, amigo! Vimos os seus sinais de fumaça pedindo socorro.
O capitão ordenou que o navio parasse e nos mandou vir lhe buscar naquele barco ali adiante. O grupo entrou no barco e o homem foi para o navio que o levaria em segurança de volta para os seus familiares tão queridos.

A propósito, como anda a sua fé?

Ocorreu um erro neste gadget

Passaram por aqui

Universal Translator

Meus visitantes amigos


contador gratis

Amigos do blog

Pesquisar este blog

Diretório de blogs

site viagens

BLOG AMIGO

Informe UNIÃO - Divulgando as maravilhas de Deus

PARCEIRO ABENÇOADO

Clique aqui

PARCEIRO AMIGO

Blog - Avante com Jesus

MIMO DA CRIS

Recadinhos Abençoados